Glutamina – benefícios do aminoácido mais abundante e versátil do nosso corpo

by Carlos

Glutamina - benefícios do aminoácido mais abundante e versátil do nosso corpo

Aminoácido que pode ser utilizado como fonte de energia por diversos tecidos, a Glutamina é hoje um dos suplementos mais essenciais para nosso organismo. 

No final, além de auxiliar no fortalecimento da parede do intestino atuando como um antioxidante, o aminoácido ajuda também a prevenir doenças do coração, como infarto, aterosclerose ou derrame.

Atualmente, o aminoácido pode ser encontrado tanto em alimentos como carnes, peixes, ovos, leguminosas e alguns vegetais como em  maiores concentrações, na forma de suplemento nutricional, em cápsulas ou em pó, sendo normalmente comercializada em lojas de suplementos alimentares.

Quer saber mais quais são os benefícios da glutamina? Gostaria de entender para que ela serve e o que esperar desse suplemento? 

Para isso, basta acompanhar a leitura desse artigo até o final. Preparamos um guia completo e detalhado sobre a glutamina, o aminoácido mais abundante e versátil do corpo. 

Glutamina: O aminoácido mais versátil do corpo

Classificada como um aminoácido não essencial, uma vez que pode ser sintetizada pelo organismo a partir de outros aminoácidos, a Glutamina é hoje um dos aminoácidos mais abundantes no plasma e no tecido muscular. 

Esse aminoácido está presente em cerca de 61% do tecido muscular e sua síntese acontece a partir do ácido glutâmico, da isoleucina e da valina. 

Indispensável para o nosso organismo, já que faz parte de órgãos importantes, como tecidos e na composição do sangue, em nosso organismo, dentre outras inúmeras funções esse aminoácido também é responsável pelo transporte de amônia e nitrogênio pela corrente sanguínea. E é por esse motivo que é necessário manter sempre constante a quantidade de glutamina no sangue. 

Atletas que buscam uma alta performance, por exemplo, precisam consumir a glutamina para melhorar o processo da síntese de proteínas que acontece na fase catabólica. 

Além disso, durante a fase catabólica os níveis plasmáticos de proteína caem, por isso, é necessário a suplementação com glutamina para manter os níveis adequados. 

Porém, os benefícios para por aí. Pelo contrário, hoje sabemos que a glutamina é um aminoácido com uma extensa lista de benefícios para o corpo. 

Glutamina – Principais benefícios e vantagens 

Como falamos anteriormente, são muitos os benefícios que a presença da glutamina oferece ao organismo. 

Ela realiza funções primordiais para o funcionamento correto de diversos órgãos como coração, pulmões, rins, fígado e intestino, sendo, também, importantíssima para o sistema imune.

Além disso, estudos também comprovam que esse aminoácido, quando produzido e absorvido em doses ideias, é capaz de trazer outros benefícios como:

Fonte de energia para o sistema imunológico

Alguns estudos já comprovaram que a glutamina em doses certas pode atuar como uma excelente fonte de energia para o sistema imunológico sendo responsável por até 70% da proteção imunológica do corpo humano.

Fonte de energia das células da mucosa intestinal

Sabemos que a glutamina é hoje a maior fonte de energia das células da mucosa intestinal, que é considerada como uma “parede virtual”.

Além disso, a glutamina também alimenta as células dos intestinos delgado e grosso, os enterócitos sendo responsável por normalizar a permeabilidade e integridade do intestino e facilitando assim, a absorção dos nutrientes oferecidos na alimentação contribuindo dessa forma para um melhor funcionamento da flora intestinal.

Fortalecimento dos tecidos

O consumo correto e equilibrado da glutamina também pode ser responsável por uma melhora e renovação diária das células, o que implica não só em maior imunidade, mas no fortalecimento de tecidos (como unhas e cabelos).

Nesse caso, por ser o aminoácido mais abundante nos músculos, a glutamina também ajuda na qualidade da construção e manutenção do tecido muscular, de forma a prevenir o desperdício muscular que pode acompanhar o repouso prolongado em cama decorrente de doenças crônicas.

Aumento da função cerebral e atividade mental

Outro ponto interessante é que, ao passo que a glutamina é transformada em ácido glutâmico, ela favorece a síntese de GABA, um neurotransmissor importante e, por isso, é responsável também por aumentar a função cerebral e por melhorar a atividade mental, auxiliando de forma significativa nas atividades da memória.

Poderoso antioxidante endógeno

A glutamina também é responsável por favorecer a produção de um poderoso antioxidante endógeno para o corpo, a glutationa, um dos principais responsáveis por proteger as células dos radicais livres, evitar a oxidação de tecidos e atuar na desintoxicação de substâncias.

Ajuda no combate de anemias e protege os rins da acidose

Estudos também comprovaram que a glutamina é responsável por ajudar o organismo a produzir ácido fólico, também conhecido como folato ou vitamina B9, que é indispensável para afastar anemias.

Ela também é responsável por permitir que os rins expulsem pela urina a carga ácida excedente no organismo, de modo a protegê-la da acidose.

Dessa forma, todos os órgãos poderão trabalhar da maneira correta, permitindo que o organismo possa manter um pH sanguíneo adequado (dentro da faixa de 7.35 a 7.45).

Contribui para o controle dos níveis de açúcar e a promover um sistema digestivo saudável

Por último, mas não menos importante, a glutamina também pode contribuir para o controle dos níveis de açúcar na corrente sanguínea e ajuda também a promover um sistema digestivo saudável.

E além de todos os benefícios que foram citados anteriormente, muitos estudos já comprovaram que a Glutamina possui também um papel muito relevante no ganho de massa muscular.

Um dos melhores suplementos para quem almeja hipertrofia

A glutamina desempenha um grande papel na síntese de proteínas nos músculos, permitindo que o tecido muscular a utilize para sintetizar novos tecidos e, por isso, é um dos melhores suplementos para quem almeja hipertrofia.

Além disso, esse aminoácido também combate o Overtraining, ao contribuir para o aumento de força e resistência e diminuir o tempo de recuperação entre os treinos, o que acaba por elevar a performance dos atletas.

A glutamina também auxilia no rápido restabelecimento dos músculos e, como foi demonstrado anteriormente, também fortalece o sistema imunológico, fatores estes que refletem em ganho de massa muscular.

Hoje podemos encontrar no mercado suplementos à base de glutamina que são capazes de elevar as taxas de GH (hormônio do crescimento) em até 400%, o que colabora ainda mais para o crescimento das peças musculares e perda de gordura.

Outro ponto interessante é que, diferente de muitos suplementos comercializados no mercado, não existe comprovação de que a glutamina engorda.

Claro, é importante frisarmos que por conter algumas calorias, se tomadas em excesso e sem orientação médica pode sim contribuir para o ganho de peso – como acontece com a maioria dos suplementos e alimentos.

Porém, não se preocupe, pois apesar de estimular o aumento dos músculos, números a mais na balança não significam, necessariamente, que houve crescimento da gordura corporal.

No final, pode-se dizer que se aliada à dieta alimentar e prática de exercícios físicos, a glutamina não engorda.

Pelo contrário, esse suplemento melhora a velocidade do metabolismo em repouso, assim como a queima de gordura corporal durante os treinos.

E, ao permitir maior disposição durante a prática de exercícios e estimular a recuperação muscular no pós-treino, acaba incentivando as idas à academia o que, indiretamente, contribui para a perda de peso.

Suplementar pequenas quantidades de glutamina também aumenta a liberação de hormônio do crescimento GH, outro bom agente para queimar gordura.

Para quem é indicado e principais contraindicações

A suplementação de glutamina é mais indicada para atletas que treinam com intensidade e que sofrem com Overtraining, assim como pessoas com alguns tipos de doenças infecciosas, inflamatórias ou traumas.

Isso porque nesses casos, em geral, temos um estresse intenso ou depleção do sistema imunossupressor, que ocorre quando há perda elevada de elementos fundamentais do organismo (como água, sangue, potássio, etc.).

Nesse caso, por se um aminoácido crucial para a boa manutenção das funções orgânicas e fundamental para o funcionamento satisfatório do sistema imune, pacientes com câncer e soropositivos – que têm a imunidade muito baixa seja pelas sessões de quimioterapia no caso do câncer, ou pelo ataque do vírus às células do corpo no caso da AIDS – costumam se beneficiar do suplemento.

A suplementação a base de glutamina também é muito indicada para pacientes com problemas intestinais como a colite, doença de Crohn e úlceras são outros que contam com o auxílio da glutamina, pois a suplementação com esse nutriente ajuda no restabelecimento do equilíbrio intestinal.

Como falamos durante o artigo, ao atuar como agente desintoxicante e eliminar impurezas do intestino como a amônia, a glutamina auxilia com eficiência na renovação das paredes intestinais.

Porém, apesar de todos os benefícios e de ser fundamental para o bom funcionamento do organismo, o consumo da glutamina deve ser evitado em alguns casos.

Estudos indicam, por exemplo, que a ingestão do nutriente de forma suplementar deve ser evitada por diabéticos, que metabolizam de forma incomum o nutriente.

Além disso, mulheres grávidas ou que estejam amamentando também só podem fazer uso do suplemento mediante prescrição médica e acompanhamento de especialistas.

O consumo da glutamina também deve ser evitado por pessoas com problemas no fígado, como as diagnosticadas com cirrose hepática e Síndrome de Reye, bem como portadores de insuficiência renal ou outras patologias nos rins.

Indivíduos com transtornos psiquiátricos ou com histórico de convulsões, além de crianças e idosos também devem ter cautela no consumo desse aminoácido.

Além disso, como algumas pessoas também podem apresentar sensibilidade à glutamina, é importante observar o surgimento de eventuais reações em decorrência do uso do suplemento.

No mais, o mesmo cuidado se aplica a quem está apto a consumir esse aminoácido, sendo que na incidência de eventuais sintomas, é imprescindível procurar orientação médica imediatamente.

Conclusão

Como foi possível perceber durante a leitura deste artigo, a Glutamina tem grande importância na síntese de proteínas e é indispensável para o funcionamento sadio do nosso corpo.

Trata-se de um suplemento que pode ser utilizado como fonte de energia por diversos tecidos, além de auxiliar no fortalecimento da parede do intestino, mantendo a microbiota saudável, tonificação da integridade das mucosas intestinais, a potencialização da imunidade e o auxílio à recuperação muscular.

Atualmente, o aminoácido pode ser encontrado em  maiores concentrações, na forma de suplemento nutricional, em cápsulas ou em pó, sendo normalmente comercializada em lojas de suplementos alimentares.

Para finalizar, é importante frisarmos que, apesar de ser um suplemento muito utilizado nos dias atuais, a suplementação de glutamina só pode ser indicada por um nutricionista ou médico, que são os profissionais aptos a determinar a quantidade e a frequência com a qual o suplemento deve ser ingerido em cada situação.

Pessoas saudáveis e que não praticam exercícios muito intensos, por exemplo, não precisam da suplementação, pois o organismo já produz quantidades suficientes desse aminoácido.

FAQ

Leave a Comment