Guia de Chá: Quais são os tipos de chá?

by Margareth

Guia de Chá: são apenas cinco tipos de chá no mundo?

Delicioso, nutritivo, suavemente estimulante e intensamente reconfortante, em alguns momentos, tomar uma xícara de chá é tudo o que você precisa.

Conhecer os tipos de chás verdadeiros, o perfil de sabor e aromas, as diferentes formas de cultivo e produção, seus benefícios para saúde e a melhor forma de preparar cada um desses chás. Ao entender as diferenças entre os chás, você pode selecionar os que mais atende sua preferência.

Os melhores chás serão os que você mais gosta, por isso, aproveite para experimentar novos aromas em diferentes sabores, certamente, você vai descobrir o seu chá predileto, em uma próxima xícara.

O chá é repleto de tradição e sabedoria, no que se refere principalmente a saúde e bem-estar. Hora de escolher o chá e aquecer a água, aproveite a leitura!

Os diferentes tipos de chá

Para começar, saiba que os chás podem ser divididos em três categorias: chás verdadeiros, tisanas de ervas e chás aromatizados.

Chás Verdadeiros

Todos os chás verdadeiros têm sua origem de uma única planta, um arbusto com o nome científico de Camellia sinensis, e são apenas cinco tipos de chá no mundo. Os outros tipos de chás são considerados tisanas de ervas e chás aromatizados.

Os chás verdadeiros são o Chá Branco, Chá Verde, Chá Oolong, Chá Preto e Chá Pu-erh. Como esses chás são feitos das mesmas folhas da Camellia sinensis, as diferenças de cor, sabor e aroma estão diretamente relacionadas ao processo de produção.

A tradição no cultivo do chá

Mesmo que atualmente recursos de tecnologia, façam parte da colheita e do processamento do chá, na essência da produção, ainda reside a tradição centenária de cultivo e processo de fabricação.

Os mestres de chá e produtores renomados, são extremamente dedicados e cuidadosos no cultivo da Camellia sinensis. E isso diz respeito a terra, o clima, os dias de colheita, os tipos de folhas colhidas, a maneira de colher as folhas, o tempo de secagem, o tipo de queima e a duração, além do tratamento que o chá recebe após estar pronto.

Todas essas condições de cultivo, colheita e preparo, são responsáveis por desenvolver características únicas e manter a alta qualidade, nos diferentes tipos de chás. Mas tem outro fator, que influencia diretamente na cor e sabor do chá: o nível de oxidação das folhas.

No instante em que a folha de chá é retirada do arbusto, ela começa o processo de oxidação, que é interrompido pelos produtores, com o aquecimento das folhas.

O chá verde é pouco oxidado, as folhas logo depois de serem colhidas, são cozidas no vapor, enroladas e secas. Já o chá preto é totalmente oxidado, enquanto as folhas do Oolong são parcialmente oxidadas.

Quais são as variedades de chás?

Chá Branco

O chá branco é feito das folhas jovens da planta, que são colhidas antes de se abrirem totalmente. Elas possuem como característica, delicadas penugens brancas revestindo as folhas. A colheita do chá branco, acontece no final da primavera e início do verão, e entre os chás verdadeiros, é o que possui o mínimo de processamento.

A produção do chá compreende a colheita, murcha e secagem das folhas. As folhas de chá branco depois de colhidas, vão murchar por horas sob luz solar direta, ou em uma sala onde o clima é controlado de forma cuidadosa. Assim, as folhas passam pelo processo de secagem, sem estimular a oxidação, são classificadas, selecionadas e embaladas para venda.

Essa tradição centenária de cultivo e produção, resulta em um chá branco com sabor sutilmente adocicado e aroma delicado, uma coloração amarela pálida ou levemente dourada.

Os chás brancos possuem frescor, sabor floral doce e uma característica suave levemente gramínea, mas com nuances. Eles podem conter notas de sabor como mel, baunilha, pêssego, e frutas cítricas, dependendo de onde as folhas são cultivadas e como são processadas.

Os melhores chás brancos, tem sua origem na província de Fujian, na China, mas esse tipo de chá também é produzido em outros países, como Tailândia, Índia, Nepal e Sri Lanka, em alguns locais ele tende a ter tons de nozes mais fortes, do que os clássicos chineses.

O mais raro e caro desses chás, é a variedade agulha de prata, que segundo relatos, teve sua origem na Dinastia Tang, onde eram colhidas apenas os botões com cerca de 3 cm, para manter um sabor leve e adocicado.

A variedade branca, é a mais próxima da planta do chá natural, demonstra ter mais antioxidantes que os outros tipos de chás, apresentando níveis altos de catequina e baixos de cafeína.

Os benefícios do chá branco são vários, devido a quantidade de antioxidantes e polifenóis presentes na planta, entre eles estão, diminuir o risco de doença cardíaca, prevenir diabetes, fortalecer o sistema imunológico, e auxiliar nos processos anti-inflamatórios.

O antioxidante EGCG (Epigalocatequina-galato) ajuda a fortalecer o colágeno e a elastina, para uma aparência mais jovem da pele e saúde dos cabelos. As catequinas, encontradas no chá branco, podem acelerar o metabolismo, e ajudar na perda de peso.

O chá branco tem a mais alta concentração de L-teanina entre os chás verdadeiros, o que vai melhorar a atenção e reduzir os efeitos do estresse. Já a pequena quantidade de cafeína, pode ser um estímulo para começar seu dia.

Como preparar o chá branco

O chá branco é delicado e melhor preparado com água em torno de 76/80° C, o indicado é não usar água fervente, porque a alta temperatura, pode interferir no sabor sutil do chá.

Use de 1 a 2 colheres de chá de folhas, para 200 ml de água, e deixe as folhas em infusão por 1 a 5 minutos. Quanto mais tempo o chá ficar infusionado, mais forte será seu sabor. O chá branco pode ser tomado quente ao natural, ou gelado em dias de verão.

Chá Verde

O chá verde é feito das folhas da Camellia sinensis, que após serem colhidas, passam por um processo de secagem, que na produção dos chás verdes chineses, essas folhas são colocadas dentro de grandes woks em altas temperaturas, o que é chamado de queima de panela.

Na fabricação do chá verde japonês, o método de aquecimento é o vapor. As folhas de chá são colhidas, lavadas e vaporizadas. O tempo de cozimento no método de vaporização, pode variar, entre mais curtos e mais longos, e isso tem efeito sobre o sabor e a qualidade do chá.

Em ambos os processos, a alta temperatura é usada para deter a oxidação. E dependendo da variedade do chá, as folhas são enroladas e moldadas em pérolas ou no formato longo, para serem classificadas e embaladas.

O chá verde é uma das variedades mais populares, e isso está relacionado a diversidade de sabores e os benefícios para a saúde. O sabor do chá verde pode conter notas de gramíneas, algas marinhas, florais, frutadas e umami, conforme a origem e tipo de produção.

Em geral é considerado herbáceo e suave, quando cozido no vapor e com nuances mais de nozes e terrosos quando assados. A coloração é amarela clara ou verde claro, sendo exceção o chá verde Matcha, que apresenta uma tonalidade verde vibrante.

Os benefícios de tomar chá verde, fazem parte de uma extensa lista, e tomar uma xícara de chá por dia, já vai ajudar a melhorar a saúde no geral. Os antioxidantes presentes no chá verde como os polifenóis e as catequinas, melhoram a circulação sanguínea, diminuem a pressão alta, reduzem o colesterol LDL, e regulam os níveis de açúcar no sangue.

O chá verde é conhecido por seu efeito termogênico, ou seja, as catequinas aumentam os níveis de energia, e com isso aceleram o metabolismo, o que ajuda na queima de gordura mais rapidamente. Além de melhorar a função hepática e promover maior saciedade.

Estão presentes no chá verde a cafeína, em quantidades maiores no Matcha, e o aminoácido L-teanina, que pode aumentar a atenção e concentração, melhorar a qualidade do sono e diminuir os efeitos do estresse.

É importante destacar, que o chá verde para ser benéfico, precisa ser consumido em quantidades adequadas, caso contrário, pode causar efeitos colaterais.

Como preparar chá verde

No preparo do chá verde, para não intensificar sabores amargos, procure manter a temperatura da água abaixo de 80°, e use uma colher de chá de folhas, para cada 200 ml de água.

O tempo de infusão é entre 3 a 5 minutos, no entanto, você pode diminuir o tempo e aumentar a quantidade de água, caso queira um chá mais suave.

Tipos de chá verde

Entre os melhores chás verdes estão variedades japonesas e chinesas. Entre eles os mais populares são:

Japoneses:
➔ Sencha

Com sabor suave e equilíbrio entre doçura, adstringência e amargor, este chá verde costuma ser consumido diariamente, sendo encontrado em grande parte dos restaurantes japoneses. O chá tem cor verde claro, e o aroma de um bom Sencha, é do frescor das folhas recém colhidas.

➔ Genmaicha

Combina as folhas de chá verde com grãos de arroz integral torrados. Isso confere um sabor tostado e mais encorpado ao chá, equilibrando as notas amargas, que podem aparecer nos chás verdes. O sabor e o aroma são agradáveis e muito apreciados, a cor é amarelada, e alguns grãos de arroz costumam estourar durante a torrefação.

➔ Chá Verde Gyokuro

Considerado o chá mais nobre entre os chás verdes japoneses, as folhas da Camellia sinensis são cobertas por cerca de 3 semanas antes da colheita, para evitar a incidência da luz do sol. Assim é produzido um chá para momentos especiais, como a cerimônia do chá, seu sabor é mais suave e adocicado, rico em umami e de uma cor verde intensa.

➔ Chá Verde Matcha

O matcha é o chá verde em pó, que passa pelo processo de cultivo com semanas de sombreamento antes da colheita. Após a secagem, os veios são separados e as folhas trituradas em moinho de pedra, para se transformarem em um pó finíssimo, de cor esmeralda.

Tradicionalmente o Matcha é preparado usando um batedor de bambu, o chasen, para obter uma textura consistente, quase cremosa e uma camada de espuma na superfície.

Chineses:
➔ Dragon’s Well Long Jing

O chá verde Poço do Dragão, é um dos chás chineses mais conhecidos pela sua qualidade, já foi considerado o chá dos imperadores. O Dragon’s Well é de uma doçura suave, com notas de nozes e sabor levemente tostado. Não é adstringente ou amargo, mas enfatiza nuances vegetais. As folhas dão ao chá uma coloração amarela esverdeada clara.

➔ Gunpowder green tea

O gunpowder é um dos principais chás chineses, conhecido também como chá de pólvora. O nome tem origem na antiguidade, pelo fato das folhas serem enroladas manualmente, para melhor conservação e sabor, na forma de pequenas bolinhas, que lembravam o formato e a explosão da pólvora. Observar as folhas se abrindo durante a infusão, é encantador. Este chá verde é refrescante, tem sabor herbal e levemente adstringente, a cor é âmbar claro.

Chá Oolong

Oolong é uma categoria de chá semi-oxidado, seu processo é especializado e trabalhoso. O que resulta em diferentes sabores e variedades, dos perfumados e aromáticos, aos cremosos, dependendo principalmente, do nível de oxidação e torra. Tradicionalmente, os Oolongs são produzidos na China, os melhores estão entre os chás mais caros do mundo.

Valorizados por seus aromas e sabores complexos, os Oolongs com oxidação leve costumam ter mais notas florais e de mel, com oxidação média mais notas frutais, e os Oolongs com alta oxidação, tendem a ter mais notas amadeiradas de nozes, sabor forte e terroso.

O formato das folhas torcidas ou em bola do Oolong, oferecem uma experiência visual única, no preparo do chá. Quando as folhas são mergulhadas em água quente, a maneira como elas se desenrolam e abrem, é um momento que merece ser contemplado, e uma ótima ocasião para o ritual de chá meditativo.

Os altos níveis de polifenóis do chá, são responsáveis por vários dos seus benefícios, o antioxidante galato de epigalocatequina, pode ajudar desde a prevenção de doenças até do envelhecimento precoce.

O consumo regular do Oolong auxilia a evitar doenças cardíacas e proteger a saúde geral do coração, incluindo níveis de colesterol e triglicerídeos, pressão arterial e circulação, devido aos antioxidantes do chá. Além de regular os níveis de açúcar no sangue, e diminuir o risco de desenvolver diabetes.

A vitamina C e as propriedades anti-inflamatórias do chá ajudam a fortalecer o sistema imunológico, produzindo anticorpos naturais. As folhas do Oolong também possuem uma concentração significativa de flúor, o que é benéfico para a saúde bucal.

O chá oolong tem um nível baixo de cafeína, que tem sua absorção retardada pelo aminoácido L-teanina, presente nas folhas do chá, isso ajuda a aumentar energia e atenção, por mais tempo. O chá também pode ajudar a aumentar a queima da gordura, acelerando o metabolismo.

Porém, como todos os outros chás, o Oolong deve ser tomado na quantidade adequada, o consumo excessivo não traz benefícios.

Como preparar o Oolong

No preparo do Oolong, use 1 colher de chá ou 2 gramas de folhas, para uma média de 200 ml de água, em uma temperatura entre 80° a 90° C. Deixe as folhas no infusor por 1 a 5 minutos, lembre-se que quanto maior o tempo infusionado, maior a temperatura, mais forte o chá. Para encontrar o sabor ideal, quando estiver preparando o chá, experimente o Oolong a cada 30 segundos.

Outro ponto interessante dos chás Oolongs, é que alguns tipos podem ser infusionados várias vezes, e segundo apreciadores, cada vez que você mergulhar as folhas do chá na água, terá um Oolong diferente e saboroso para beber.

Chá Preto

É o alto grau de oxidação, que torna as folhas da Camellia sinensis escuras, no chá preto, e isso é responsável por seu sabor e o aroma. Após a colheita, as folhas são murchas com a luz solar direta, ou ar para acelerar o processo.

O chá preto tem dois métodos de produção, um é utilizado no preparo das folhas para saquinhos de chá, em que elas são moídas para serem embaladas. Essas folhas geralmente são de média e baixa qualidade. Para os chás de alta qualidade e mais caros, são processadas as melhores folhas, mantidas soltas e enroladas ou no formato de bolas.

Esse é um tipo de chá totalmente oxidado, durante a oxidação as enzimas nas folhas reagem com o oxigênio, e gradualmente vão escurecendo as folhas, até chegar em uma cor preta escura. O que resulta em um sabor forte, torrado e terroso, dependendo da forma como é produzido, o chá preto pode ter notas florais ou tons de nozes.

Existem alguns chás pretos que são menos oxidados do que outros, e apresentam notas frutadas e cítricas, e traços levemente adstringentes, devido à concentração de taninos. Outros combinam diferentes chás pretos, para obter notas florais suaves.

Como outros chás que tem sua origem da Camellia sinensis, o chá preto é rico em antioxidantes, os conhecidos polifenóis, e contém o aminoácido L-teanina. No chá preto são encontradas grandes quantidades de cafeína, o que pode aumentar a energia, além disso, o chá é prebiótico e possui propriedades anti-inflamatórias.

Como preparar o chá preto

Para extrair o sabor forte do chá, água fervente é a melhor escolha. Use 1 colher de chá, de folhas do chá preto, para 200 ml de água, deixe em infusão por 3 a 5 minutos.

As folhas do chá preto são usadas para fazer o masala chai indiano, revelando um sabor intenso, junto com especiarias como cravo, canela, gengibre, cardamomo e pimenta. A adição do leite no chá preto, também é muito apreciada, e confere cremosidade ao sabor forte desse chá.

Chá Pu-erh

O chá Pu-erh passa por um processo de oxidação que é similar ao envelhecimento, sendo considerado um chá pós-oxidado. São dois tipos de Pu-erh, o cru e o maduro.

No Pu-erh cru, as folhas são colhidas e murchas para reduzir o teor de umidade, e depois assadas para completar a secagem. Após essa etapa, as folhas vão passar por um processo de oxidação, que pode ser de 5 anos, 10, 15 anos, ou até 50 anos. Quanto mais tempo levar o envelhecimento do chá, os sabores apresentam diferentes nuances, mais sutis e complexas, e o chá fica melhor.

Enquanto na produção do Pu-erh maduro, o envelhecimento é acelerado com o uso de micobactérias. Dessa forma, as folhas do chá obtêm um sabor diferenciado, em menos tempo, com cerca de 1 a 2 anos, o chá já alcança nuances de envelhecimento. Mas é a partir de 4 anos, que os sabores diferenciados do Pu-erh se sobressaem.

Pu-erh maduros são mais suaves em comparação com os Pu-erh cruz. O clima onde o chá é cultivado, também pode alterar o sabor do chá. O Pu-erh plantado nas montanhas, tende a ter aroma amadeirado, sabor terroso e forte, já as plantas cultivadas ao nível do mar, apresentam notas oceânicas.

Na produção as folhas são colhidas e secas, para em seguida, serem agrupadas em grandes pilhas, e assim promover o crescimento de microrganismos saudáveis. Quando o Pu-erh atingir o nível de oxidação desejado, as folhas são colocadas em embalagens de chá soltas, saquinhos de chá, e também, tijolos, discos ou bolas de chá.

Por ser um chá produzido a partir da Camellia Sinensis, o Pu-erh tem os benefícios similares aos outros chás da planta, isso inclui, diminuir os riscos de doença cardíaca, acelerar a taxa metabólica, o que favorece a perda de peso. A quantidade moderada de cafeína presente no chá, contribui para melhorar a energia, por conter ácido gama-aminobutírico GABA, produz efeitos naturais anti-ansiedade.

Como preparar o Pu-erh

No preparo do Pu-erh, a temperatura da água deve estar em torno de 90°, a quantidade é de 1 colher de chá das folhas para 200 a 230 ml, e o tempo de infusão é de 2 a 4 minutos, lembrando que, quanto mais o chá ficar infusionado, mais forte o sabor.

Nos métodos tradicionais de preparo do Pu-erh, antes da infusão, as folhas são lavadas uma ou duas vezes, com água quente. Para facilitar, coloque as folhas em um infusor e despeje a água quente sobre as folhas, agite o infusor, e descarte o líquido. Depois é só preparar o chá normalmente.

Chá de ervas ou Tisanas de ervas

Os chás de ervas, não são feitos da Camellia sinensis, por esse motivo, não são considerados chás verdadeiros. Esses chás são chamados de Tisanas de ervas, e podem incluir não só as folhas em uma infusão, mas flores, frutas, raízes e especiarias. Os chás de ervas podem ser infusionados em água quente ou fervente, tomados frios ou gelados, e combinados com chás verdadeiros. Esses chás possuem uma ampla variedade de notas florais e frutadas, sendo somente o chá-mate/erva-mate, a variedade que contém cafeína, portanto, algumas tisanas são ótimas como chás relaxantes.

Tipos de Tisanas

As tisanas costumam ser divididas conforme a parte da planta, os chás podem ser feitos com uma dessas partes ou misturando várias, aqui estão alguns exemplos:

  • Tisanas de folhas: hortelã, capim-limão, erva-cidreira;
  • Tisanas de flores: camomila, hibisco, lavanda;
  • Tisanas de frutos: maçã, laranja, mirtilo;
  • Tisanas de cascas: canela, quina, cereja preta;
  • Tisanas de sementes e especiarias: erva-doce, anis, cardamomo;
  • Tisanas de raiz: gengibre, chicória, alcaçuz.

Hibisco

A flor de hibisco encontrada facilmente nos jardins, não é a mesma do chá de hibisco. As espécies da planta são diferentes. A Hibiscus Sabdariffa, também conhecida como vinagreira, é usada para fins medicinais, as outras são plantas ornamentais.

A cor vermelha rubi do hibisco ocorre, por causa das antocianinas, presentes no chá, que tem grande potencial antioxidante. O sabor do chá tem um azedinho, que para alguns lembra a framboesa, já as opiniões se dividem sobre o hibisco ser amargo ou não. Apreciadores não acham o chá amargo e sim suave, além de muito saboroso.

O chá de hibisco combina com outros chás, como o chá verde. E pode ser misturado ao suco de frutas, como o de laranja e limão, ou pedaços de frutas vermelhas. O preparo do chá de hibisco é feito com água fervente, são: 1 colher de chá do hibisco para 200 ml de água; ou, 2 colheres de sopa de hibisco seco, em um litro de água fervente, deixando descansar de 5 a 10 minutos.

O ideal é não adoçar, mas o mel é uma opção. Uma xícara de chá de hibisco por dia já traz benefícios, no entanto, a quantidade adequada pode ser orientada por um nutricionista.

O hibisco tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, além de ter vitaminas C do complexo B e C, trazendo vários benefícios para a saúde, ajudando a promover a saúde cardiovascular, evitar a retenção de líquido e auxiliar na perda de peso.

Maçã

O chá de maçã é muito popular e ganhou adeptos por suas propriedades medicinais, e por ser um chá de sabor suave, nutritivo, que pode ser tomado várias vezes ao dia. É um chá versátil, que combina facilmente com uma série de outros ingredientes, e pode ser consumido quente ou gelado.

Rico em polifenóis, fibras e fitonutrientes, o chá de maçã ajuda a fortalecer o sistema imunológico, auxilia na digestão, possui propriedades anti-inflamatórias, contribui para melhorar as funções cardíacas, e são vários outros benefícios.

No preparo da infusão de maçã desidratada, um chá simples e gostoso, é feito com 3 colheres de sopa de maçã desidratada, 1 pedacinho de gengibre, para 1 xícara de água, deixe ferver por 5 minutos, é só coar. Pode ser adoçado, tomado quente ou frio.

Mesmo grandes apreciadores de café, sabem que, em alguns momentos, poucas coisas são tão bem-vindas, como uma xícara de chá.

Leave a Comment