Melhores vinhos tintos: 5 opções saborosas de tintos

by Margareth

O vinho tinto é um clássico apreciado há séculos e é perfeito para várias ocasiões, seja como acompanhamento em uma reunião festiva ou em um jantar romântico.

Um tinto evoca emoções únicas, pois há algo de especial em simplesmente parar e saborear um bom vinho enquanto você assiste a um bom filme ou lê seu livro preferido.

Então, por que não reservar um momento para encontrar o seu vinho ideal? Separamos 5 dos melhores vinhos tintos e as 3 principais recomendações para você escolher e experimentar.

Recomendações

Escolha Premium

DV Catena Malbec

Encorpado, considerado um dos melhores tintos secos da Catena Zapata, sua marca registrada é a cor profunda entre violeta e vermelho. O sabor é uma mistura equilibrada entre frutas pretas, notas de baunilha, chocolate e um leve defumado.

Nossa recomendação

Luigi Bosca Cabernet Sauvignon

Corpo médio, bem estruturado, com aroma de frutas vermelhas e negras e notas defumadas de especiarias, chocolate e tabaco. Taninos firmes, acidez equilibrada com um final prolongado e saboroso, esse é um vinho tinto para ser apreciado.

Melhor para o seu bolso

Casillero del Diablo Carmenere Reserva

Vinho tinto seco chileno que se inspira nas melhores tradições vinícolas do país, elaborado a partir de uvas Carmenere. Tinto aromático com notas intensas de amora madura, groselha e cereja preta, seu final é longo e persistente.

Melhores vinhos tintos e principais características 2023

Uvas Malbec
Região Argentina/Mendoza
Sabor de frutas pretas, notas de baunilha, leve defumado
Uvas Cabernet Sauvignon
Região Argentina/Mendoza
Paladar frutado, notas de violeta e chocolate
Uvas Carménère
Região Chile/Vale Central
Aromas e sabores frutados, notas de chocolate, especiarias
Uvas Tannat
Região Uruguai/Maldonado
Final persistente, longo, notas amadeiradas
Uvas Pinot Noir
Região Califórnia/Sonoma
Vinho tinto meio seco, paladar de frutas vermelhas

Os 5 melhores vinhos tintos do mercado

Vinho tinto DV Catena Malbec

O DV Catena Malbec é considerado um dos melhores tintos secos da Catena Zapata. Sua grande complexidade de sabor resulta do conceito de produção da linha DV, que combina uvas Malbec de dois excelentes vinhedos argentinos, produzidas em diferentes altitudes e tipos de solo.

Este vinho é um tinto encorpado com cor profunda entre violeta e vermelho. O aroma é frutado com notas sutis de carvalho. No paladar, são sentidos os sabores de frutas pretas, amora, ameixa e notas de baunilha e chocolate, além de um leve defumado.

O final é longo, suave e saboroso, com um toque de taninos. O DV Catena Malbec é uma excelente opção para acompanhar carnes grelhadas, massas, risotos, charcutaria e queijos duros.

Catena Zapata, pela sua qualidade, conseguiu se equiparar aos vinhos argentinos e agora faz parte dos melhores vinhos do mundo. Catena foi eleita 12 vezes pela Wine & Spirits como uma das 100 melhores vinícolas do mundo. Em 2020, recebeu pela Drinks International Magazine o título de A Marca de Vinho Mais Admirada do Mundo, e hoje é a vinícola mais premiada da América do Sul.

Vantagens


Uvas Malbec
Região Argentina/Mendoza
Vinho tinto seco
Vinícola Catena Zapata
Cor vermelho intenso, com tons violetas
Sabor de frutas pretas, amora e ameixa, com notas de baunilha e leve defumado
Aroma frutado com notas sutis de carvalho
Final longo, suave e saboroso, com leve toque de taninos
Volume: 750 ml
Graduação alcoólica: 13,5%

Desvantagens


Não há

Vinho tinto Luigi Bosca Cabernet Sauvignon

Luigi Bosca Cabernet Sauvignon tem um sabor marcante e encorpado, na medida certa para quem quer apreciar um tinto seco. As uvas são fermentadas e depois envelhecidas em barris de carvalho francês, o que aparece em suas notas defumadas e no seu final longo e persistente.

Corpo médio e bem estruturado, aroma de frutas vermelhas e negras com notas de especiarias, chocolate e tabaco. Os taninos são firmes, a acidez varia de média para alta, mas tudo está em perfeito equilíbrio. A cor é de um rubi profundo, e no paladar há sabores de amora e ameixa madura, com toque de baunilha. 

Vai muito bem com carnes vermelhas grelhadas e assadas, queijos duros, massa com molhos vermelhos intensos e cogumelos. Uma ótima opção para aquele jantar com bife de ancho na manteiga.

Luigi Bosca CS está entre os melhores tintos argentinos, pois desde sua fundação, em 1901, o padrão rigoroso de produção resultou em vinhos que estão presentes em mais de 60 países e são apreciados nos ambientes gastronômicos mais emblemáticos do mundo.

Vantagens


Uvas Cabernet Sauvignon
Região Argentina/Mendoza
Vinho tinto seco
Vinícola Luigi Bosca
Cor rubi profundo e brilhante
Aroma frutado, notas de violeta e chocolate
Sabor amora e ameixa madura, notas de baunilha
Final persistente, longo e saboroso, com notas amadeiradas
Volume: 750 ml
Graduação alcoólica: 14%

Desvantagens


Não há

Vinho tinto Casillero del Diablo Carmenere Reserva

Casillero del Diablo Carmenere Reserva é um vinho tinto seco chileno que se inspira nas melhores tradições vinícolas do país. Cultivado no Vale Central do Chile, é elaborado a partir de uvas Carmenere. O resultado é um vinho aromático com notas intensas de amora madura, groselha e cereja preta.

Na boca, Carmenere Reserva apresenta uma textura suave e aveludada com acidez e taninos equilibrados. O final longo e persistente é cheio de notas de chocolate amargo, especiarias e tabaco.

Na hora de harmonizar, o Carmenere Reserva combina muito bem com carnes vermelhas, cordeiro, aves, massas de molhos com tomates e queijos.

Os vinhos Casillero del Diablo são produzidos por uma das vinícolas mais importantes do mundo, a Viña Concha y Toro. Foi eleito pela 5ª vez consecutiva como a segunda marca de vinho mais poderosa do mundo, sendo a primeira da América Latina a conquistar tal feito.

A lenda centenária do Casillero del Diablo conta que o fundador da vinícola, Don Melchor de Concha y Toro, criou um boato para proteger seus vinhos dos constantes saques, espalhando que o próprio diabo protegia suas adegas. Depois disso, nenhuma outra garrafa desapareceu.

Vantagens


Uvas Carménère
Região Chile/Vale Central
Vinho tinto seco
Vinícola Concha Y Toro
Cor vermelho intenso com tons violetas
Aromas e sabores frutados: amora madura, groselha e cereja preta
Final longo com notas de chocolate amargo, especiarias e tabaco
Volume: 750 ml
Graduação alcoólica: 13,5%

Desvantagens


Não há

Vinho tinto Bodega Garzón Reserva Tannat

Bodega Garzón Reserva Tannat (2020) é um vinho tinto seco intenso em cor, aroma e sabor. A tonalidade fica entre o vermelho e violeta, os aromas frescos remetem aos frutos vermelhos e pretos que estão presentes nas notas amadeiradas e de chocolate.

Paladar potente, envolvente, e com sabores frutados, destacando-se especialmente amora, cerejas, ameixas e especiarias A grande identidade de terroir está nos taninos maduros que equilibram a acidez marcante.

Esse é um vinho tinto seco encorpado e bem estruturado, com final prolongado e toque de carvalho, e fica melhor após descansar um pouco (entre 30 e 40 minutos) antes de ser degustado.

Este Garzón Tannat harmoniza perfeitamente com carnes vermelhas, carré de cordeiro com crosta de ervas, bife de chorizo e salada caprese.

A Bodega Garzón é uma das vinícolas mais renomadas do Uruguai, Maldonado, região que deu origem aos solos mais antigos do planeta (Embasamento Cristalino). As uvas são colhidas à mão e depois cuidadosamente vinificadas em pequenos lotes.

A produção da vinícola inclui uma boa variedade de vinhos, incluindo clássicos como Tannat, Cabernet Sauvignon e Merlot, além de blends interessantes como Tannat-Syrah, Tannat-Cabernet Sauvignon.

O tinto Garzón Reserva Tannat está no Top 100 doWine Enthusiast (EUA) de 2021.

Vantagens


Uvas Tannat
Região Uruguai/Maldonado
Vinho tinto seco
Vinícola Bodega Garzón
Cor púrpura, profunda e brilhante
Aromas de frutas vermelhas e pretas
Sabor amora, cerejas, ameixas e especiarias
Final persistente, longo, notas amadeiradas
Volume: 750 ml
Graduação alcoólica: 14%

Desvantagens


Não há

Redwood Creek Pinot Noir

Os vinhos tintos da Califórnia (EUA) são conhecidos por seu sabor e complexidade, e o Redwood Creek Pinot Noir é um bom exemplo. A uva Pinot Noir, usada neste tinto, é cultivada no clima dos vinhedos costeiros californianos.

O sabor é suave, com notas sutis e elegantes. Tem aroma de frutas vermelhas, como cerejas e framboesas, nuances de violeta e especiarias. Seus taninos macios criam uma textura suave e aveludada, de paladar macio, com doçura discreta e final agradável.

Vinho de corpo médio sem tanta acidez, cor cereja intenso. O Redwood Creek Pinot Noir é agradável em qualquer ocasião e seu amadurecimento não passa por barricas de carvalho.

É um tinto que combina bem com uma variedade de pratos, dos mais leves até carnes mais pesadas. Harmoniza com carne de porco e de boi, frango, frutos do mar, salmão, cogumelos, aspargos, legumes assados e pizza marguerita.

E & J Gallo Winery é uma vinícola familiar localizada em Sonoma County (Califórnia, EUA), fundada em 1933, e hoje é uma das maiores vinícolas dos Estados Unidos. Comprometida com práticas sustentáveis de vinificação, produz vários rótulos que se tornaram populares, incluindo Barefoot, Gallo Family Vineyards e Turning Leaf.

Vinho Pinot Noir é considerado por muitos um dos vinhos mais românticos, muitas vezes descrito como perfumado e doce, mesmo sendo um tinto seco.

Vantagens


Uvas Pinot Noir
Região Califórnia/Sonoma
Vinho tinto meio seco
Vinícola E & J Gallo Winery
Cor cereja intenso
Paladar de frutas vermelhas, cerejas, framboesas e especiarias
Aromas frutados, nuances de violeta
Final suave e agradável
Volume: 750 ml
Graduação alcoólica: 11,5%

Desvantagens


Não há

Como escolher os melhores vinhos tintos

Seu Paladar

Um vinho tinto seco é mais adequado para quem prefere um sabor ousado e encorpado. Este tipo de vinho normalmente possui alto teor de taninos, o que proporciona um gosto levemente amargo e adstringente.

Por outro lado, um vinho tinto suave é perfeito para quem tem um paladar mais sensível. Esses vinhos são tipicamente baixos em taninos e possuem um perfil de sabor mais suave e fácil de beber. Eles tendem a ser mais frutados e menos ácidos do que os tintos secos.

Seu orçamento

Hoje em dia existem muitas opções de preços, então você pode encontrar vinhos tintos de excelente qualidade com valores mais acessíveis. Por isso, é importante ter um orçamento em mente quando for escolher seu vinho.

Comece olhando os vinhos em sua faixa de preço e depois veja se consegue encontrar uma garrafa que atenda ao seu paladar, dentro desse orçamento. Mas você deve desconfiar de vinhos muito baratos, porque todo o processo de cultivo, produção e engarrafamento tem um alto custo, portanto, não tem como vender o produto por um preço muito baixo.

Região do vinho

Os vinhos tintos são tão variados e diversos quanto as regiões onde são produzidos. O clima, o solo e o terreno de cada região em que as uvas são produzidas adicionam sabor e caráter inconfundíveis aos vinhos.

Regiões com clima úmido e temperado, como a França, tendem a produzir tintos encorpados, de sabores complexos e excelentes para envelhecimento, que depois ficam até conhecidos como alguns dos melhores vinhos do mundo.

Tintos da Califórnia, por sua vez, são conhecidos por seus sabores ousados e intensos, mas geralmente leves de corpo, com toques de frutas vermelhas, especiarias, acidez equilibrada e taninos aveludados.

No Brasil, encontra-se uma grande variedade de uvas adaptadas ao solo e ao clima da região sul. Essas uvas conferem aos tintos uma marca frutada e picante que pode ser leve, média ou encorpada, com um final agradável e persistente.

Vinícola

Vinícolas de renome são garantia de qualidade nos vinhos. Por se dedicarem de maneira cuidadosa para extrair o melhor de cada variedade de uva, deixam evidente a paixão pelo vinho em cada garrafa que produzem. No entanto, tudo isso vai se refletir no preço do vinho.

Observe que algumas dessas vinícolas usam suas uvas premium para os vinhos mais caros, e com as outras fazem os vinhos de preço menor. Porém, todo o rigor e cuidado na produção continuam presentes em todos os rótulos que produzem.

Graduação alcoólica do vinho

Quanto mais madura for a uva, mais açúcares naturais ela contém. Por esse motivo, na fermentação, maior será a concentração de álcool do vinho. Em geral, o teor alcoólico dos vinhos fica entre 10 a 15%, sendo que um Porto pode chegar a 20%, por exemplo.

A graduação alcoólica será maior se o vinho for mais estruturado, por isso vinhos mais refrescantes têm menor teor alcoólico (8,6%). A quantidade de álcool influencia na percepção do paladar, por isso a importância do equilíbrio.

Corpo do vinho

O corpo do vinho é a sua estrutura geral, que se compõe de textura (densidade) e peso.

  • Corpo leve: menor teor alcoólico, pouco tanino, pouca acidez e quase nenhuma persistência no final. Vinhos mais jovens e frescos.
  • Corpo médio: mais riqueza de aromas e paladar mais persistente, é fácil sentir sua textura, volume e equilíbrio ao saborear.
  • Encorpado: vinho mais denso, com cor, aromas e sabores mais intensos, final marcante e prolongado. Tem maior graduação alcoólica.

Principais uvas para produção de vinhos tintos

Cada tipo de uva tem características únicas. Para te ajudar a entender melhor suas particularidades, explicaremos mais sobre algumas das uvas mais usadas na produção do vinho tinto:

Cabernet Sauvignon: um dos tipos de uva mais plantados, muito popular para a fabricação de vinho tinto. A Cabernet Sauvignon é conhecida por sua cor profunda e escura, sabor encorpado e taninos intensos. Possui aroma e paladar de frutas vermelhas e negras, como amora, ameixas, cassis e cerejas, além de possuir notas de especiarias.
Pinot Noir: uma uva famosa para produção de vinhos tintos. Com frequência associada à região da Borgonha na França, mas também é cultivada em outras partes do mundo. Seus vinhos tintos têm geralmente corpo leve, mas são complexos, com aromas e sabores de frutas escuras, como cerejas, amoras e ameixas, além de apresentar notas terrosas e tabaco.
Carménère: originária de Bordeaux, na França, passou a ser cultivada no Chile, onde se tornou uma das castas de assinatura do país. Os vinhos tintos feitos com Carménère são encorpados e complexos, com aromas e sabores de frutas escuras, pimenta, tabaco e especiarias.
Tannat: uma variedade francesa com sabor encorpado e profundo de amora-ameixa e taninos fortes, apresenta um toque de especiarias. Seu sabor arrojado e complexo a torna uma ótima opção para harmonização com alimentos saudáveis.
Malbec: nativa da França, essa uva se tornou muito popular na Argentina. O vinho produzido a partir delaé conhecido por sua tonalidade roxa profunda e sabor rico e intenso de frutas vermelhas, alcaçuz e notas defumadas. Os taninos são macios e resultam em uma experiência de tinto suave.

Tipos de vinho tinto

Vinho tinto seco

Esse é um tipo de tinto feito de uvas escuras, algumas com matizes quase negros.

Ao contrário dos vinhos tintos suaves, esses tintos são caracterizados por um sabor seco e robusto e um corpo cheio. Isso ocorre devido ao processo de fermentação ir até o final, o que resulta em um vinho com baixo teor de açúcar, em geral abaixo de 5g.

Se você escolher um vinho seco, espere provar notas sutis de frutas, especiarias e um toque terroso com um leve final tânico.

Vinho Tinto Suave

Vinhos tintos suaves são conhecidos por seus taninos macios e pela textura aveludada. Por serem mais sutis, são uma ótima escolha tanto para quem bebe casualmente quanto para os enófilos mais experientes.

Normalmente têm um equilíbrio delicado de sabores de frutas como amora, cereja, framboesa e ameixa, além do aroma de tabaco, especiarias, notas terrosas e de couro.

Vinhos tintos suaves são uma ótima escolha para qualquer ocasião e harmonizam bem com uma grande variedade de pratos.

A cor do tinto suave pode variar conforme a uva, mas em geral fica meio vermelho rubi na sua taça de vinho. Uma das suas principais características é ter bem mais açúcar que o tinto seco, cerca de 20g/L.

Como armazenar seu vinho tinto corretamente

Garrafas fechadas

Para garantir o melhor sabor na hora de tomar seu vinho, é importante seguir algumas orientações simples:

Guarde a garrafa em local fresco e escuro, como um armário ou algum ambiente da casa com essas características. Vinhos são muito sensíveis à luminosidade e ao calor, pois isso pode fazer com que o vinho tinto estrague. Temperaturas ideais para guardar a garrafa variam entre 16 e 18°C.
A intensidade luminosa incidindo sobre o vinho pode provocar o chamado “defeito de luz”, que afetará o aroma, gosto e o aspecto visual. O seu vinho tinto perde a cor, ficando mais claro, então não o exponha à luz.
Evite que no local de armazenamento tenha flutuações de temperatura. A oscilação entre quente e frio faz com que o vinho se expanda e contraia, isso pode fazer com que a rolha seque, permitindo a entrada de ar na garrafa
Guarde a garrafa de vinho na horizontal, assim a cortiça permanecerá úmida.
Tenha certeza de que a garrafa de vinho não está colocada em um lugar no qual ela possa sofrer balançar. As movimentações podem fazer com que as partículas do vinho assentem, afetando o sabor.
Evite locais quentes, como armários de cozinha próximos a fogões ou paredes expostas ao sol. Isso pode estragar o vinho ou alterar o sabor.
Se for possível, guarde sua garrafa em uma adega portátil, no estilo geladeira. Elas são projetadas para manter a temperatura ideal constante e protegem as garrafas de oscilações.

Garrafas abertas

Um dos principais responsáveis por prejudicar o sabor, o aroma e a cor do vinho tinto é o oxigênio. Com o passar do tempo, ocorre a oxidação da bebida e isso transforma o ácido cítrico do vinho em ácido acético, o “vinagre”.

Mesmo na geladeira, o processo de oxidação do vinho continua, mas você pode retirar o oxigênio da garrafa usando um “vácuo in”. Esse utensílio retira o ar de dentro da garrafa e, para impedir que o oxigênio entre, você deve colocar uma tampa de borracha que vai vedar a entrada do oxigênio.

Outra opção é transferir o vinho para uma garrafa menor, assim o líquido preenche o espaço e elimina o ar no interior do recipiente.

Ao ser aberto, o vinho entra em contato com as bactérias do ambiente, que podem acelerar o processo de fermentação. Em uma temperatura de aproximadamente 7°C, esse tipo de bactéria não sobrevive, e o vinho tem uma duração maior de tempo. Sendo assim, pode ser uma boa ideia mantê-lo na geladeira.

A temperatura em alguns modelos de refrigeradores Side by Side pode ser ajustada de forma automática para armazenar os vinhos.

Porém, mesmo com todos esses cuidados, o vinho tinto dura poucos dias na geladeira, após a garrafa ter sido aberta. Os tintos mais simples podem ficar de 3 a 5 dias na geladeira e, se for um tinto mais robusto, com mais taninos, esse tempo pode ser de até 6 dias.

Melhores vinhos suaves - conheça 5 opções deliciosas

Conclusão

Tomar um vinho tinto é uma experiência deliciosa. Dos sabores profundos e ricos de um Cabernet Sauvignon encorpado às notas leves e frutadas de um Pinot Noir, os melhores vinhos tintos oferecem algo especial para todos.

Esteja você procurando uma garrafa para uma ocasião especial ou um gole para o dia a dia, os tintos listados neste artigo são de primeira qualidade e certamente agradarão até o paladar mais exigente.

Aprecie os aromas frutados, o paladar de frutas vermelhas e negras com notas de especiarias, chocolate e tabaco, em taninos firmes e acidez equilibrada de nossa recomendação como melhor vinho tinto: o Luigi Bosca Cabernet Sauvignon.

Perguntas frequentes (FAQs)

Leave a Comment